Compartilhar:

Na última semana as cotações da soja na CBOT recuaram para os menores níveis em quase 14 meses. O mercado tem se posicionado, principalmente, em torno da nova safra norte-americana. Os reportes climáticos do NOAA apontam para um clima mais seco nas próximas semanas em grande parte do meio-oeste dos EUA, o que pode beneficiar a semeadura, que apresenta 83% a campo até o momento.

Além disso, a especulação em torno da possível migração de área do milho para a soja também tem pesado negativamente sobre as cotações. 

De acordo com o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (IMEA), pelo lado da demanda, a margem negativa de esmagamento na China neste momento trouxe dúvidas a respeito da sua participação nas exportações mundiais a curto prazo, com rumores, inclusive, de possíveis cancelamentos de cargas pelos chineses. Com o dólar em movimentação lateralizada, a forte pressão baixista nas cotações externas já pesa sobre o mercado interno, que recuou na última semana, travando as negociações.

Fonte: Agrolink